Ler Ferreira de Castro 40 Anos Depois

Ler Ferreira de Castro 40 Anos Depois
Mais informações: www.cm-sintra.pt

30.9.09

Lágrimas na chuva

Consegues corrigir?
Consegues emendar?

Quando o diálogo não corre bem

E te afastas ainda mais.

Agora não sinto nenhuma dor
As minhas lágrimas tombam na chuva

Todos sofrem quando entras no jogo do amor
Tropeças e cais, e tudo em nome do amor

As palavras não saem bem
Consegues emendar?
E mantenho o que sinto longe da vista
E faço a dor no peito desvanecer

E as noites são longas e frias
Quero-te aqui amor, para abraçar

Todos sofrem quando entras no jogo do amor
Magoas, mas é tudo em nome do amor

Crying In The Rain, Erasure

29.9.09

eleições legislativas

Votar importa.
Votar em consciência, mais do que um direito, é um dever - para connosco e para com os que nos rodeiam.

28.9.09

Somos mais felizes por ler?

Eu retiro uma grande satisfação pessoal do acto de leitura. Mas se sou mais feliz? Não. A felicidade retiro da vida, dos momentos e pessoas que a compõem.

Em retrospectiva, devo à leitura grande parte do meu cepticismo e fim de várias ilusões. Com a leitura perdi a ingénua ignorância.

Em última análise, é a responsável pela minha desventura.

26.9.09

Georg levanta-se ainda o sol teima em permanecer na sua cama de estrelas. Todos os dias, pega no seu cocho e dirige-se à pequena povoação, onde o aguardam as pequenas reparações domésticas quotidianas.

De sol a sol percorre as casa endinheiradas. Faz de tudo, ouve de tudo, tudo aceita. Goiva, sifão, martelo, prego: são só instrumentos de trabalho. Instrumentos de dignidade são: trabalho, silêncio, discrição.

23.9.09

Acceptance Speech

I would like to thank each and everyone who – direct or indirectly – made this dream possible to come true. From friends to strangers, they are too many to account for.

I would also like to dedicate this award to my mother. Mom. Wherever you are, you’re always in my mind.

22.9.09

Neil Patrick Harris

Na minha infância, adorava ver a série O Menino Doutor – Dougie Howser, MD, protagonizada por Neil Patrick Harris. Intrigava-me o facto de um jovem/uma criança sobredotada poder “saltar” anos de escola. Não era o facto deste ser sobredotado, era o facto de se poder avançar rapidamente no percurso académico. Essa situação para mim era inaudita.

Acabada a série, raramente tive conhecimento de outros trabalhos deste actor. Isto até há pouco tempo assistir na Fox Life à sit com How I Met Your Mother, que relata as aventuras de um grupo de amigos de thirty few em NY. É na sequência deste trabalho que Harris foi convidado para ser o anfitrião da cerimónia de entrega dos Emmy’s, que decorreu esta madrugada.

And Ladies & Gentlemen, he kicked some asses.

Por aqui, aguardasse ansiosamente novos trabalhos deste senhor.

20.9.09

Na grande maioria dos sistemas judiciais ocidentais, um individuo é considerado inocente até prova em contrário. Há muitos casos em que as acusações são maliciosas e baseadas em elementos circunstâncias, mas que após análise se comprovam ser indícios errados. Infelizmente, todos estamos sujeiros a situações mais ou manos dúbias.

Mas como diz o ditado, onde há fumo, há fogo. Ou seja, quando alguém é acusado, não de um crime, mas de vários, é muito provável que seja culpado de algum. Não é cinismo. É bom senso. E depois há acções que parecem exactamente corroborar essas acusações.

Diz também o ditado que quem não deve não teme. Não é verdade. Tem-se a consciência tranquila, mas teme-se, porque infelizmente a justiça é cega e não vê a verdade. No entanto, quem não deve, tem por hábito colaborar no apuramento da verdade, pois é do seu interesse. Mas quando há fugas arquitectadas, encobrimento de dados e outras situações, é óbvio que se tem esqueletos no armário.

É pena que este tipo de situação aconteça na vida política nacional (e internacional).

Os responsáveis políticos devem respeito aos seus eleitores. No entanto, parecem ser os primeiros a desrespeitar quem os elege.

As frequentes notícias de abusos de poder e de indigitações judiciais deveriam ser suficientes para os partidos e candidatos políticos, por uma questão de decoro, não se submeterem ao escrutínio público. Mas quando o fazem, o que me choca mais é que saiam vencedores. Lamento. Pelos eleitores, pelo processo democrático, pela minha dignidade enquanto cidadão de um país.

Que respeito podemos exigir quando elegemos quem não nos respeita?

17.9.09

Palavras #185 a 187

Toutinegra - s. f. Zool. Ave dentirrostra, de plumagem ruiva. = tutinegra

Rechinar - v. tr. 1. Produzir som agudo; ranger. 2. Produzir som semelhante ao da gordura gotejando sobre brasas. 3. Queimar (o calor ao sol). 4. Estridular (a cigarra). 5. Silvar, cortando o ar.

Aduncoadj. Em forma de garra; recurvado.

16.9.09

e devo tudo a ti


Com ele deixámos de ser meninas do papá e descobrirmos o desejo e a sensualidade.

não, nunca me senti assim
sim, juro, é a verdade
e devo tudo a ti
porque tive o tempo da minha vida
e devo tudo a ti

estive tanto tempo à espera
e finalmente encontrei alguém com quem contar
vimos a escrita na parede
ao sentirmos esta fantasia mágica
não há como disfarçar
e enlaçamos as mãos
porque percebemos a urgência
lembra-te

és a única coisa de que não me farto
então digo-te, isto pode ser amor porque

vivi o melhor da vida
não, nunca me senti assim
sim, juro, é a verdade
e devo tudo a ti

de corpo e alma
quero-te mais do que alguma vez saberás
então deixemo-nos ir
não tenhas medo de perder o controlo
sim, sei o que pensas
quando dizes "fica comigo esta noite"
e lembra-te

porque vivi o melhor da vida
e procurei em cada porta aberta (nunca senti isto)
e agora tudo é verdade
e devo tudo a ti

(I'VE HAD) THE TIME OF MY LIFE

14.9.09

A segurança no local de trabalho

O povo português tem fama de ser pessimista. Pelo contrário, acho que é inconscientemente optimista. Uma das áreas em que isso é mais visível, não obstante o desenvolvimento legislativo nos últimos anos, é o da segurança no local de trabalho.

Por norma, nunca pensamos que o pior nos pode acontecer. E também não nos devemos deixar envolver por esse receio. Mas também é verdade que as chefias, que detêm o poder de decisão, não têm noção das reais condições de trabalho dos seus funcionários e chegam a interpretar alertas e receios como má vontade. Mas será que, em circunstâncias iguais, manteriam a mesma opinião?

Creio que não. É necessário que as chefias sejam sensíveis às condições de trabalho dos seus funcionários e, mais do que isso, tenham a coragem de tomar decisões que se sabem à partida impopulares. É que a popularidade de uns não compensa a insegurança de outros.

13.9.09

A morte é um negócio de futuro

Sempre o foi. Continuará a sê-lo.
Há mais de seis biliões de pessoas no mundo e nenhum deles ficará para contar história*.
A morte é um mercado em expansão. Desde o negócio dos últimos desejos a cumprir e das intenções testamentárias, passando por cuidados paliativos e as possíveis mortes dignas, culmimando com os corpos, que se querem em terra, em pó ou preservados a qualquer preço.
A morte veio para ficar e a morte é dinheiro em caixa.
_
* Algumas ficarão relatadas numa imensidão de prateleiras, outras na imaterialidade da net.

12.9.09

11.9.09

na melhor das hipóteses, é uma forma de me defender da dor. mas, suspeito que na realidade seja apenas insensibilidade. ou, melhor, egoísmo.

esta passividade no peito perante o infortúnio alheio. esta indiferença com que escuto desabafos e inquietações.

é egoísmo, não é?

10.9.09

o orgulho é corrosivo. Expande-se lenta e indelevelmente, queimando o espírito até ao âmago. A destruição lenta e implacável impossibilita o renascimento da inspiração regeneradora.

9.9.09

A chorar

durante um tempo estive bem
durante um tempo pude sorrir
mas vi-te ontem à noite
e ao parar para dizer olá
apertaste tanto a minha mão
e apesar de me quereres bem
não conseguiste ver
que ainda choro por ti
choro por ti
e disseste até à próxima
deixando-me só
só e a chorar, a chorar, a chorar
é difícil compreender
mas o toque da tua mão
pode levar-me a chorar

pensei que te tinha superado
mas na verdade, na verdade
amo-te ainda mais que antes
minha querida, que posso fazer?
Se não me amas
e se sempre hei-de
chorar por ti, chorar por ti

sim, agora que partiste
e a partir deste momento
hei-de chorar por ti

sim, chorar, chorar por ti

Crying, Roy Orbison

8.9.09

José Gil

in Ler#83

1. ... há uma grande confusão entre liderança forte e liderança autoritária. Em geral, a liderança autoritária é forte, mas a liderança forte pode não ser autoritária.
2. Há qualquer coisas que fascina sempre uma multidão, um grupo pequeno, até mesmo um individuo: a presença de um outro que tem certezas. Porquê? ... a presença de alguém que sabe o que quer, com certezas, com aparente sinceridade, tira angústias, sossega, apazigua...
3. A lamuria é também a afirmação de uma sociedade e de um universo português imaginário que não desce para o real.
4. Há pequeninas mas importantes ameaças à democracia e à liberdade, desde a imprensa à reactivação do medo, palavra que começa a generalizar-se. Há pessoas que não querem falar, não querem inscrever-se nos sindicatos, não querem dar a cara, como se diz, por medo.

6.9.09

a tempestade

uma vez mais a Quinta da Regaleira acolheu a produção de verão do Teatro Tapafuros: a Tempestade, de W. Shakespeare. Como sempre, a encenação procurou tirar o melhor partido do cenário natural em proveito da história que se propõe representar. Se, em anos anteriores, fomos servidos com todos os excessos da Quinta, este ano a produção apostou numa maior simplicidade. Não houve os já explorados percursos, mas sim o cenário simples da gruta que se supõe o lar de Próspero. Esta simplicidade cénica, convida à imaginação do espectador e mantém-se fiel ao espírito shakesperiano.



4.9.09

A Casa do Lago

Depois do sucesso de acção Speed I (1994), era bastante esperado o reencontro cinematográfico entre S. Bullock e K. Reeves. Este ocorreu em 2006 e num registo completamente diferente, o do melodrama.

O enredo tem como pedra de toque o romance Persuasão, de Jane Austen, e aborda o desencontro amoroso e a importância do momento certo nas relações.

É um filme delico-doce, que vale apenas para os fans dos actores.

3.9.09

Palavras #182 a 184

Solipsismo - (solipso + -ismo) s. m. Vida ou hábitos de solipso ou de indivíduo solitário.
Resmoneado - v. intr. Resmungar.
Estentóreo - adj. Forte e retumbante (voz). = estentórico, estentoroso

2.9.09

As Memórias de olhar para cima III

gNa minha infância, a visita a casa dos meus avós paternos era sempre uma festa. Havia o Norte e a Catita, os cães de sempre. Ela castanha de pelo comprido e muito senhora de si, dada a poucas confianças. Ele, preto de pelo curto, era o sonho de qualquer criança, uma paz de alma que aceitava todas as tropelias que lhe fazíamos. Não com o intuito de o magoar, apenas de brincar. Sentava-me nas suas cavalitas, dançava com ele, pegando-lhe nas patas da frente. Foi o meu cão.
Tal como a Catita, faleceu pouco tempo depois do meu avô.

1.9.09

Architectural digest II

à vista desarmada, não parece estarmos perante uma construção humana. Mas sob um olhar mais atento, podemos ubservar os traços de uma estrutura rudimentar coberta de saibro grosseiro.

Já no seu interior, a estrutura possui vários orificios, nomeadamente uma lucerna, que permitem a entrada abundante de luz natural, que possibilita inclusive a iluminação de um reduzido hipogeu.